O Feminismo

O Feminismo

22/12/2020 0 By Thiago Gomide
O Feminismo é um movimento derivado do Marxismo que busca utilizar a guerra de classes e a teoria do opressor e oprimido, desenvolvida por Karl Marx e Friederich Engels, de modo a aplicá-la não mais em burgueses e proletários, mas em homens e mulheres. O objetivo do Feminismo é destruir os papéis masculino e feminino, colocando seres humanos em posições de conflito e destruição.
Para aplicar tal técnica, pode-se introduzir no imaginário feminino a ideia ridícula de que como supostamente todos os homens, de acordo com a teoria feminista, seriam então, estupradores em potencial, a única saída para uma mulher estar realmente segura e livre, seria relacionar-se sexualmente e afetivamente com outra mulher.
É possível ser feminista e católica?
Não! O Cristianismo em si e a doutrina feminista são teologicamente e filosoficamente incompatíveis. Quando você escolhe pertencer a um grupo, movimentos ou religião, deve observar que existem regras a serem cumpridas, bem como um ordenamento de hábitos, práticas, etc. Não se pode mudar uma tradição de 3 mil anos para adequar-se a uma ideologia pós moderna repleta de falhas acadêmicas e naturais. Feminismo e catolicismo são práticas opostas, em que o primeiro tenta destruir o segundo, que por sua vez reza e muitas vezes acolhe os praticamente do primeiro.
Gloria Steinem é uma jornalista feminista americana atuante desde a década de 60, durante o período mais intenso da Revolução Sexual. Constantemente em suas palestras e discursos, ela comenta como a religião (em especial o cristianismo) é incompatível com o movimento e os avanços na luta feminista. Em 2001 em uma entrevista para a CNN, ela chega a dizer que “se Deus é homem então o homem é Deus. Nós precisamos que Deus viva em todas as coisas e não está mais presente em homens do que em mulheres”. Nessa frase, aparentemente pacífica e inofensiva, podemos identificar a tentativa de subverter a doutrina cristã, como se esta apresentasse Deus como um homem dominante, violento e opressor, dando a entender que esses comportamentos viciosos são habituais e naturais de todos os homens.
Argentina em 2018. Feministas tentaram invadir a Catedral de Buenos Aires para protestar a favor da legalização do aborto no país. O que os homens católicos fizeram? Organizaram uma militância de rua para proteger a Casa de Deus e o Corpo Eucarístico. Formaram um cordão de isolamento e se prostraram a rezar o Santo Terço. Foram cuspidos, pichados, foram assediados sexualmente, tendo suas partes íntimas tocadas, tiveram suas roupas rasgadas, foram expostos à nudez e atos obscenos.
Frida Kahlo era dependente emocional, Simone de Beauvoir era pedófila e Celina Guimarães, primeira mulher a votar no Brasil, deu os créditos do feito a seu marido. Não existe “femismo” e feminismo, nem feminismo brando e feminismo radical. Tampouco existe um “feminismo bonzinho que já ajudou as mulheres”. O feminismo é tão e somente um movimento cultural, acadêmico e social que tem como objetivo destruir os papéis masculino e feminino, subvertendo a natureza da sexualidade humana e implementando a revolução sexual: ideologia de gênero, aborto, pedofilia, destruição da família e redução populacional.
O que é ideologia de gênero?
É uma ideologia derivada do marxismo que tem como objetivo separar a sexualidade humana de sua natureza e explicá-la somente através da cultura.
Seus aptos utilizam a Guerra Semântica como técnica de manipulação da linguagem e do comportamento humano, subvertendo palavras e criando artificialmente novos termos. Divide a formação da personalidade humana apenas em partes sexuais, sendo permissiva com crimes e parafilias. Através de sua confusão mental, desenvolvida propositadamente pela elite intelectual de esquerda ao longo de 70 anos, convence pessoas sãs de que existe uma necessidade de expressar sua sexualidade fora do ambiente íntimo, a transformando em uma luta social. A ideia central é de que não existem apenas dois sexos, como indica a biologia, mas que cada ser humano pode definir em palavras e comportamentos sua própria sexualidade. Resumindo: não existe mais homem ou mulher. Essas seriam definições antiquadas e cada um poderia ser livre para ser ou se sentir como quiser. O principal problema é que esse conceito não prioriza a realidade das coisas, mas se baseia inteiramente em sentimentos e autopercepções. Ou seja, por isso se chama ideologia e não teoria de gênero, pois a ideologia orbita apenas nos campos das ideias e suposições, diferente da teoria que pode ser provada através do método científico. Ah, para lembrar os chatos de plantão, não se pode fazer política pública, nem pesquisas científicas baseadas em sentimentos, portanto a ideologia de gênero é incompatível com práticas governamentais e de ensino. Pois bem, o livro “Gênero: ferramenta de desconstrução da identidade” trata sobre tudo isso. Pra mim é a obra mais completa sobre o tema.
Outra pauta feminista, é o aborto, será que tudo que elas falam realmente é verdade?
“Mas não é vida, é um amontoado de células, um coágulo de sangue”. De acordo com um dos mais famosos embriologistas clínicos do mundo, Dr. Keith L Moore, a vida inicia-se na concepção, quando um ovócito (Óvulo) de uma fêmea é fecundado por um espermatozoide de um macho. O desenvolvimento humano é um processo contínuo que se inicia quando um ovócito (óvulo) de uma fêmea é fecundado por um espermatozoide de um macho. Além disso, o coração do bebê já começa a bater com apenas 18 dias, ou de 5 a 6 semanas.
“Mas não ele tem sistema nervoso, não sente dor”. O sistema nervoso do bebê começa a se formar a partir da 6ª semana. E mesmo que não sentisse dor alguma, isso não justifica sua morte. Esse argumento é tão fraco que é derrubado com um simples questionamento: “se aplicarmos anestesia geral em quem é inconveniente em nossa vida, podemos assassiná-lo?”.
“Mas o corpo é da mulher e o feto é só uma extensão dela!”
  1. O bebê não faz parte do corpo da mulher, ele apenas está alojado dentro dela, sendo sua estadia temporária.
  2. Se o bebê fizesse parte do corpo da mulher, ela já nasceria com o feto no ventre.
  3. Se o bebê fizesse parte do corpo da mulher, para retirá-lo, seria necessário um procedimento de amputação, não de parto.
  4. O bebê não tem DNA só da mulher. O feto tem DNA do pai e da mãe. Nenhum ser pode naturalmente fazer parte do corpo de outro com DNA diferente sem que seja feito antes um transplante de orgão.
  5. Se não fosse a membrana que protege o bebê, este seria expulso do corpo da mulher, pois ele é um corpo estranho dentro dela. Em outras palavras, nenhuma parte do seu corpo é expulsa de dentro de você.
  6. O agente ativo na gestação é o bebê. É ele que regula o líquido amniótico.
  7. É o bebê quem, em última instância, diz o momento de sair. Tanto é que, alguns abortos espontâneos acontecem porque o organismo entende a criança como um ser estranho; o que impede dele ser expulso do corpo da mãe é justamente a cápsula protetora
    “Mas quem vão morrer são as pretas, pobres e periféricas, enquanto as ricas podem abortar em clínicas seguras”. Que tal darmos uma nova possibilidade às gestantes desfavorecidas economicamente? Sabemos que quando uma mulher recorre a um aborto, é por que está desesperada e muitas vezes em situação de abandono. Você sabe o que são “Casas Pró Vida”? São casas que acolhem gestantes em situação de rua, drogas, marginalizadas e dão gratuitamente todo suporte técnico e emocional para que ela dê continuidade à sua gestação com muito amor carinho, respeito e dignidade. Elas têm onde morar, dormir, comer, interagir umas com as outras, além de ser oferecida assistência social para que terminem seus estudos, tirem seus documentos, assistência médica 100% em todos os exames pré-natal, parto, pós-parto, assistência psicológica e psiquiátrica, inclusive para usuárias de drogas, se ganha enxoval, roupas, cestas básicas, além de se oferecer cursos profissionalizantes e encaminhamento de emprego.
“Mas a gravidez foi acidental”.
Não existe gravidez acidental, ninguém tropeça órgão sexual e fica grávida ou engravida alguém. Nenhum método contraceptivo é 100% eficaz. Se alguém pratica o ato sexual, deve estar ciente da possibilidade, mesmo que pequena de gerar uma vida.
O Feminismo protege as crianças ou as utiliza como instrumentos ideológicos?
A revolução sexual e o feminismo têm sido ao longo de 70 anos, responsável pela erotização precoce de crianças e adolescentes. Você dúvida? Vamos então ao que falam os próprios teóricos da Revolução Sexual e do Movimentos Feminista.
“As crianças devem se expressar sexualmente, provavelmente umas com as outras inicialmente, mas também com os adultos ”. – Kate Millett
“Cada criança contém todas as possibilidades sexuais acessíveis à expressão humana”. – Gayle Rubin
“Todas aquelas instituições que segregam os sexos ou separam as crianças da sociedade adulta devem ser destruídas. E, se as distinções culturais entre homens e mulheres e entre adultos e crianças forem destruídas, nós não precisaremos mais da repressão sexual que mantém essas classes diferenciadas, sendo pela primeira vez possível a liberdade sexual “natural”. Assim, chegaremos à liberdade sexual para que todas as mulheres e crianças possam usar sua sexualidade como quiserem. Serão permitidas e satisfeitas todas as formas de sexualidade.” – Shulamith Firestone
Espero que saibam que Simone de Beauvoir, a grande rainha das feministas e seu amante Jean Paul Sartre, foram acusados de estupraram mais de 20 meninas entre 12 e 17 anos. Duas delas cometeram suicídio após serem repetidamente forçadas a manter relações sexuais e realizarem abortos.
Por fim, confira algumas frases do Feminismo:
1 – “Homens que são acusados injustamente de estupro podem, às vezes, aprender com essa experiência.” – Catherine Comins
2 – “No patriarcado, todo filho de uma mulher é seu potencial traidor e também inevitavelmente o estuprador ou explorador de outra mulher.” – Andrea Dworkin
3 – “Todo ato sexual, e mesmo o sexo consentido entre um casal no matrimônio, é um ato de violência perpetuado contra a mulher.” – Catherine MacKinnon
4 – “Chamar um homem de animal é elogiá-lo. Homens são máquinas, são pênis que andam.” – Valerie Solanas
5 – “Todos os homens são estupradores, e isso é tudo que eles são.” – Marilyn French
6 – “Quando uma mulher tem um orgasmo com um homem ela está apenas colaborando com o sistema patriarcal, erotizando sua própria opressão.” – Sheilla Jeffrys
7 – “Eu sinto que odiar os homens é um ato político honrado e viável.” – Robin Morgan
8 – “Uma mulher que faz sexo com um homem, o faz contra a sua vontade, mesmo que ela não se sinta forçada.” – Judith Levine
9 – “Quero ver um homem espancado e sangrando, com um salto alto enfiado em sua boca, como uma maçã na boca de um porco.” – Andrea Dworkin
10 – “O homem é um animal doméstico que, se tratado com firmeza, pode ser treinado e fazer algumas coisas.” – Jilly Cooper